quarta-feira, 6 de julho de 2011

RELATO DE UM OPERADO DE HEMORRÓIDAS...


Olha o que eu recebi por e-mail ontem. Leiam, é hilário.


"Ptolomeu em 150 d.C. falava que a terra era o centro do universo e que tudo girava em torno dela, foram precisos cerca de 1400 anos para esta teoria ser rebatida por Nicolau Copérnico provando para a humanidade que o Sol sim era o centro.


Eu, simplesmente EU, descobri em apenas três dias, após 51 anos, que ambos estavam redondamente enganados: o centro do universo é o cú.
Isso mesmo, o CÚ!
Operei das hemorroidas em caráter de urgência algumas semanas atrás.

Motivo: No domingo à noitinha, o que achava que seria um singelo peidinho, quase me virou do avesso.

“É difícil, mas vamos ver se reverte”, falou meu médico. Reverteu merda nenhuma, era mais fácil o Lula aceitar que sabia do mensalão do que aquela lazarenta bolinha (?) dar o toque de recolher.

Foram quase 2 horas de cirurgia e confesso não senti nadica de nada, nem se me enrabaram durante minha letargia!


Dois dias de hospital, passei bem embora tenham tentado me afogar com tanto soro que me aplicaram, foram litros e litros; recebi alta e fui repousar em casa.
Passados os efeitos anestésicos e analgésicos, vem a “primeira vez”.

PUTA QUE PARIU!!! Sabe aquela cagada que quando tá começando a sair você tenta se levantar do vaso achando que vai doer menos??? PIOR!!! Parece que você tá cagando um croquete de figo da Índia, casca de abacaxi, concha de ostra e arame farpado. É um auto-flagelo.

Por uns três dias dói tanto que você não imagina uma coisinha tão pequena e com um nome tão reduzido (cú) possa doer tanto. O tamanho da dor não é proporcional ao tamanho do nome, neste caso, cú deveria chamar Dobrovorsky Tegulcigalpa Nabucodonosor.


Passam pela cabeça soluções mágicas:
Usar um ventilador! Só se for daqueles túneis aerodinâmicos.
Gelo! Só se eu escorregar pelado por uma encosta do Monte Everest.
Esguichinho d’agua! Tem que ser igual o chafariz do Bellagio em Las Vegas, névoa seguida de jatos intercalados.

Descobri também que somos descendentes diretos do bugio, porque você fica andando como macaco e com o cú vermelho; qualquer tosse, movimento inesperado, virada mais brusca o cú dói, e como!

Para melhorar as “idas” à privada, recomenda-se dieta na base de fibras, foi o que fiz: comi cinco vassouras piaçaba, um tapete de sisal e sete metros de corda.
Agora sei o sentido daquela frase: “quem tem medo de cagar não come!”

Perdi 4 quilos; 3,5 de gordura e 0,5 de cú.
Tudo valeu, agora já estou bem, cagando como manda o figurino, não preciso pensar para peidar, o cú ficou afinado em ré menor, uma beleza!"


Não se enganem com esse problema de hemorróidas, cuidado que você pode ter uma linda rosa por desabrochar viu?!?!?! hehehehe. Mas nós, cadeirantes, somos muito mais propensos a adquirir essa, não tão agradavel, flor por vários motivos que me recuso a expor aqui porque envolve.......MEEEEEEEERDAAAAAAAA!!!

Então cuidem bem de seus "rabinhos".


Um grande abraço a todos.

7 comentários:

  1. Luiz você é uma onda amigo..fiquei preocupada com você quando comecei a ler o post mas você transforma as coisas em piada de uma forma tão positiva..kkkkk!! É muito criativo esse menino!! Que bom que já está tudo beeeem e a bendita se foi!!!

    :**

    ResponderExcluir
  2. Mamãozinho essa foi oootima!!! KKKK me caguei de rir aki kkkk como sempre, a caxola funciona com mta criatividade...só vc pra tirar graça da merda kkkkkkkk Bjks

    ResponderExcluir
  3. Olá,

    Escrevo porque estou interessada em realizar intercâmbios de links com a sua página web que trata da mesma temática que a minha. Eu poderia te oferecer um link em diferentes páginas.
    Escreva-me se estiver interessado. (joana.seo.portugal@gmail.com)
    http://visaodiferenciadaaa.blogspot.com/2011/07/relato-de-um-operado-de-hemorroidas.html

    ResponderExcluir
  4. Há muito tempo eu não ria tanto! simplesmente hilário!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Primeira cagada pós operatório: cirurgia terça 20/1015

    Decidido a enfrentar a coisa com elegância eu estava preparado para a primeira cagada. Sabendo da dor que me aguardava eu usei a inteligência e preparei o espírito da mesma forma que se prepara para tomar uma injeção benzetacil, a gente encara a dor de frente e ela parece menor, ou seja, estamos preparado pra ela. Pois bem, no meu caso não foi bem assim...

    A última cagada foi segunda a noite e a terça foi jejum completo sendo no fim da tarde a cirurgia. Desde a terça tomo pela manhã um efervescente chamado planta bem para regular o intestino mas na quinta tive q tomar um comprimido laxante e outro na sexta(hoje as 5 da matina) pois o organismo estava com receio. Bem, a contração veio hoje as 11hs da manhã e praticamente a 3 dias da operação o processo de cicatrização já estava avançado e a dor bem menor que nos dias anteriores o que me dava uma vantagem pelo organismo ter esperado...
    Pois é, me fui ao banheiro super tranquilo e como prova disso levei o celular para ficar navegando até que derrepente o bixo pegou, o negócio deu uma leve trancada e eu dei uma forçadinha de leve e aí começou a dor...sentia que o fiofó estava se rasgando todo, perecia que tava saindo um cactus gigante do cú, nesse momento o celular se perdeu no chão do banheiro e a elegância desapareceu por completo e pra piorar o cactus não terminava mais e agora parecia que ele além de espinhoso ainda tava pegando fogo, a dor era insuportável e sentia que abrira todos os pontos e cada vez que eu tentava segurar parecia que os espinhos esguichavam suco de limão e um calorão tomou conta das costas até que o cactus saiu por completo, senti um certo alívio que não durou 5 segundos pois em seguida veio uma contracão mais forte e com ela e segunda leva de merda, só que não em forma de cactus mas sim um churrio terrível em forma de lava derretida de um vulão em erupção, eu sentia como se um ácido estivesse entrando em todas as fissuras abertas pelo cactus, como uma combinação maquiavélica aquele líquido ía queimando tudo e nessas alturas o calorão subiu pelo pescoço e nuca, as orelhas estavam quentes que davam pra fritar um ovo em cada uma, os olhos esbugalhados pareciam que íam sair da cara e eu com os braços abertos me debatendo olhando de um lado para outro como um desesperado a beira da morte que procura por ajuda, as mãos saíam da parede a íam para a cabeça e da cabeça iam para a pia e a outra pro box, eu nem consigo descrever os mais diversos tipos de caretas que se criavam naquele ambiente torturoso e para mim aqueles 2 ou 3 minutos pareceram horas até que fui todo cagado para o chuveiro onde o término da cagada veio em forma de alívio com o passar dos minutos sob a água do chuveiro e eu todo torto no chão com a bunda na água e a cara na parede com a boca aberta e a respiração tentando voltar ao normal.

    ResponderExcluir
  6. Morri de rir! Operei dois dias atrás e ainda não consegui ir ao banheiro.. busquei no Google informações e descobri esse site. Pronto. A dor piorou muito com as risadas frenéticas da realidade exposta. Estou dopada no trabalho agora, mas muito obrigada pela diversão nesses momentos de dor.. adorei!!

    ResponderExcluir
  7. Nossa!! Semana q vem faço minha cirurgia mas é tanto comentário assustador q to a beira d desistir ninguém conta nada positivo nem depois desses dias, eu cinto do d mas qdo uso o banheiro a minha ta no grau 3 e travo o dentes pra fazer coco já ando aterrorizada d dor. Alguem ai c positividade

    ResponderExcluir